A deputada Andrea Murad comentou sobre a operação que libertou 58 trabalhadores em condições semelhantes à escravidão em Paço do Lumiar. Ela relembrou o pronunciamento que fez sobre a Central Engenharia, que vinha sendo, segundo denúncia da parlamentar, protegida por órgãos do governo Flávio Dino e atuando irregularmente, não apenas em questões trabalhistas, mas operacionais e ambientais.

“O governo do Estado e a Secretaria do Meio Ambiente foram coniventes também com as irregularidades praticadas pela empresa. Sempre tive certeza da atuação do Ministério Público do Trabalho, que jamais iria permitir o que vinha acontecendo com esses trabalhadores, agora precisamos impedir que esta empresa continue atuando. O Termo de Compromisso Ambiental para que a empresa deixe a área expira hoje e ela deve se retirar daquela comunidade que já vem sofrendo gravemente as conseqüências do funcionamento da fábrica de asfalto”, disse Andrea.

A própria Assembleia Legislativa aprovou requerimento da deputada Andrea Murad pedindo esclarecimentos sobre o TCA, que não foi respondido. O Termo de Compromisso Ambiental foi assinado entre a empresa e a Secretaria de Estado do Meio Ambiente que não havia emitido licença para que a usina operasse em Paço do Lumiar. A parlamentar expressou preocupação com as fortes ligações entre o proprietário da empresa, José Lauro, e o governo, o que poderia ter prolongado o funcionamento da usina.

“Denunciei em agosto na tribuna que o proprietário da CENTRAL também é o dono da AGROCIL, outra empresa de asfaltamento que atualmente está executando o Programa ‘Mais Asfalto’ do governo com as prefeituras, inclusive a Prefeitura de São Luís”, revelou a parlamentar Andrea que deve repercutir o assunto na sessão de amanhã na Assembleia Legislativa.

murad

Leave a Comment