A deputada estadual, Andrea Murad (PMDB), expressou revolta hoje ao relatar o caso de Adeildes Coutinho, idosa de 64 anos que faleceu após ter atendimento negado na UPA do Araçagi no último fim de semana sob justificativa de greve dada pela equipe de acolhimento.

“A Adeildes veio a óbito na busca desesperada por uma Unidade. Faleceu, no fim, lá na UPA da Vila Luizão. A família de dona Adaildes registrou Boletim de Ocorrência sobre o caso, a Gisele, nora de dona Adaildes, voltou ontem à UPA, pediu a escala para o administrador da UPA, o Júlio, pediu as imagens das câmeras da UPA. Vamos ver agora quem é que está mentindo. Infelizmente hoje as coisas estão assim, quando na verdade o Estado tem a obrigação de cumprir com a sua responsabilidade, cumprir com seu papel que é cuidar do povo”, disse a deputada.

Para a parlamentar, a tragédia é reflexo da gestão na saúde do governador Flávio Dino. Mais uma vez, Andrea Murad cobrou dos parlamentares as visitas às unidades que se encontram em péssimos serviços de atendimento.

“E esse é o reflexo da política da saúde do governo Flávio Dino que venho falando dia após dia com denúncias graves. Venho convidando a Comissão de Saúde e os deputados para visitarem as Unidades, as UPAs, os hospitais e se negam a ir. Por que não vão? Semana passada fiz a denúncia da paralisação nas UPAs. E está aí a prova. Uma senhora morre por falta de atendimento na Unidade do Estado, por falta de atendimento. E eu pergunto, se fosse um familiar de V. Exas? Aí o mundo teria acabado”, disse.

Discurso de hoje: www.youtube.com/watch?v=WK_hPqJk8jI

murad

Leave a Comment