A deputada Andrea Murad (PMDB) em discurso na tribuna, rebateu as denúncias sobre uso de helicóptero da saúde em sua campanha eleitoral e a mobilização do governador Flávio Dino em intimidar a sua postura de oposição ao governo com a criação de CPI para investigar o caso. Ela atribui a estratégia de constantes acusações infundadas, como perseguição política do atual governo. Mais uma vez, ela esclareceu o assunto enfatizando que não vai admitir que um fato mentiroso siga em frente.

“Eu não vou admitir que o governo tente me calar, achando que isso me intimida, porque quanto mais eles fazem isso, mais é a minha vontade de ir contra eles e mostrar o desgoverno que praticam. Então, se pensam que vão me calar, eles não vão conseguir, porque mais ainda é a minha vontade de escancarar os erros desse governo”, disse Andrea.

Sobre o uso de helicóptero, a deputada Andrea Murad desmentiu o líder do governo, Rogério Cafeteira, ao dizer que a parlamentar teria viajado em helicóptero (16/09) de uso da Secretaria de Saúde para São João dos Patos. Ela confirmou através de matérias referentes ao dia que estava em evento com o vice-presidente Michel Temer em São Luís. E que no dia seguinte (17/09) viajou em avião modelo Seneca, o mesmo que a retornou para São Luís, prova que podem ser facilmente obtidas em relatórios de vôos. A deputada explicou ainda que não estava presente em helicóptero que fez pouso forçado (18/09) com a presença do ex-secretário Ricardo Murad. Ela apresentou diálogos do dia em grupo do whastup da família mostrando os horários e os esclarecimentos sobre o ocorrido.

“Vou ter que expor até a vida pessoal da minha família, como um grupo de WhatsApp. O meu pai, toda vez que ele decolava e pousava, ele colocava no grupo da família. E nesse dia, as conversas aqui relatam o horário e o que de fato ocorreu. E eu não estava presente, sempre falei e sempre tive muita certeza de que isso não fosse para frente porque é mentira. Não vão conseguir colocar a mim algo que eu não fiz, eu sempre falo aqui nesta tribuna. Eu jamais serei igual àqueles que combato. Eu jamais serei igual àqueles que condeno”, disse Andrea Murad.

A deputada Andrea Murad considera uma tática do governo Flávio Dino, tentar intimidar o Poder Legislativo. Ela criticou os rumores sobre a criação de uma CPI para investigar o uso de helicóptero e disse ser a primeira a assinar o pedido desde que seja para investigar as contas de campanha dos 42 deputados e não apenas uma deputada que é oposição ao governo.

 

“Isso me dá mais ânimo, mais força para trabalhar contra ele porque mostra mais ainda que ele não é uma pessoa para exercer tal mandato. Ele já mostrou isso na administração e agora está mostrando como pessoa, ou seja, agora ele quer tirar um mandato de uma deputada que foi eleita legitimamente para poder calar a voz? Ele quer mais o quê? Ele já tem quantos deputados aqui nesta Casa? E os poucos que têm são vozes que estão incomodando demais o governador. E a tendência é só piorar porque quanto mais ele faz um governo ruim, mas eu vou estar aqui, nesta tribuna, para denuncia-lo”, finalizou.

Quanto à reportagem, capa do jornal O Imparcial de domingo, a deputada disse que a publicação foi estimulada por interesses do governo expondo-a a uma inverdade sobre o uso de helicóptero. “Três de maio de 2015, foi o dia que o Jornal O Imparcial se apequenou, se agachou para o Governo, que mostrou todo o seu governismo. Nunca pensei que o Imparcial fosse mostrar tão descaradamente o seu lado governista, tomando uma medida dessa a mando do palácio e colocando numa capa de jornal uma mentira a meu respeito, porque eu nem mereço tanto uma manchete de capa de domingo. Mas O Imparcial fez e colocou uma mentira, um fato inverídico e não agiu como age o bom jornalismo”, discursou a deputada.

murad

Leave a Comment