Em sessão plenária desta quarta-feira (02), a deputada Andrea Murad (PRP) citou os programas e declarações de Flávio Dino sobre o combate à pobreza, destacando que as ações da gestão comunista não passam de propagandas enganosas e que nunca mudaram a realidade do Maranhão.

“A gente percebe como tudo não passa de uma falácia atrás da outra, sem qualquer consistência, essência, são apenas ações midiáticas, conteúdos superficiais, mas que apareçam bem na propaganda. Primeiro foi o Programa Mais IDH. E tome propaganda. Aí a realidade não muda. As estatísticas surgem e pra justificar ele diz que a maior política de combate à pobreza no Maranhão é a educação, que ele tá fazendo isso e aquilo – e nós sabemos que é só propaganda. Os professores estão todos indignados com a gestão de Flávio Dino. Vem mais dados sobre extrema pobreza no Brasil, pasmem, Maranhão só piora e Flávio Dino culpa os governantes passados. Como sempre, culpando os outros, ele mesmo diz que há relação direta entre pobreza no maranhão e a corrupção, ele só esquece de dizer que na gestão dele, de 2015 pra cá, a pobreza só aumentou”, discursou Andrea.

Esse crescimento foi divulgado pela Revista Valor Econômico e apontou que, entre 2016 e 2017, o número de maranhenses que vivem com menos de US$ 60 (dólares) por mês, ou seja R$ 210 reais, cresceu 48% na capital São Luís, passando de 99,6 mil para mais de 147 mil miseráveis. E os números seguem crescendo no interior: saltou de 1,17 milhão para 1,18 milhão de pessoas em extrema pobreza, apenas no ano de 2017. O IBGE também divulgou que 396 mil pessoas voltaram a situação de miséria no MA. Para a deputada, diversos fatores vêm contribuindo para o aumento da pobreza no Maranhão, durante o governo de Flávio Dino.

“Esse é o resultado da má gestão, despreparo, desconhecimento da realidade do Maranhão, ausência de planejamento, corrupção que é evidente no governo Flávio Dino e vem propiciando o aumento da pobreza em todo o estado. Ciente dessa situação, Flávio Dino constatou que sua reeleição está comprometida e resolveu utilizar métodos alternativos descambando para o uso da Polícia Militar: espionagem, ameaças, nomeação de mais capelães para angariar votos nas igrejas; e para a compra e cooptação da classe política: deputados, partidos e lideranças. Diante de todos esses índices apresentados, só resta para o governador Flávio Dino utilizar de meios abusivos e desesperados para se manter mais 4 anos aumentando mais ainda a pobreza que existe no estado e desta forma destruindo o maranhão”, finalizou.

murad

Leave a Comment