Na política e na vida de quem exerce o mandato em nome e no interesse daqueles que confiaram em nós, existem momentos que precisamos avaliar, pensar e decidir em função do que realmente conta. Decidir em favor daqueles que esperam de nós seriedade, coerência e responsabilidade. Nas eleições 2014, acredito que não houve no Brasil inteiro, lideranças políticas que mais se empenharam por cada voto para a presidente Dilma. A maioria de nós percorreu este estado, transmitindo cada palavra, cada compromisso e ninguém foi mais dedicado do que o Maranhão para que a presidente continuasse no comando do nosso país. Todos nós acreditamos em cada palavra, em cada promessa, e aos poucos fomos colhendo os frutos de nossa postura fiel, leal, que mais uma vez garantiu a sua vitória. Possivelmente fui, perante muitos, palavra e penhor de compromissos que Dilma Rousseff assumiu e não cumpriu; possivelmente fui, aos olhos de tantos, palavra e penhor de promessas que mais tarde se revelaram falsas e de palavras que sabemos hoje ocas. Tal como eu, muitos depositaram a sua confiança na presidente Dilma, acreditando no cumprimento de suas promessas perante o povo do Maranhão.

Mas a governabilidade foi desequilibrando, a nossa economia despencando e muitas de nossas promessas começaram a ruir porque as decisões foram se afastando dos interesses do povo. Quem ainda lembra da nossa refinaria? Abandonada! Vimos o sonho desse grande empreendimento ruir junto com os planos de milhares de moradores, empresários e até estudantes que se preparavam para o funcionamento do grande empreendimento. A BR-135 está aí, obras em três etapas e a primeira sequer foi concluída, enquanto as mortes na BR continuam. São obras de grande porte até o pequeno produtor. Quem conhece bem o que é administrar uma prefeitura, sabe da escassez dos recursos para os municípios, do atraso de vários repasses prejudicando centenas delas, que tinham suas obras e reformas já programadas, prometidas ao seu povo, e dia após dia adiadas por causa do caos instalado.

Mas na política, tal como na vida, existe um momento em que temos de dizer “basta!”. Os maranhenses já começaram, não apenas ao governo Dilma, mas também ao governo Dino, o governador eleito com apoio dos tucanos e hoje defensor da presidente. Ele, assim como a presidente, desastrosamente vem demandando uma série de ações que colocam mais ainda nosso estado na penumbra. Nunca se viu em tão pouco tempo, um governador em início de mandato tão ruim na história do Maranhão. A suspensão das obras financiadas pelo BNDES, hospitais deixados pela metade porque Flávio Dino redefiniu suas prioridades. Fim da manutenção dos hospitais de 20 leitos. Descaso na gestão da saúde pública, totalmente debilitada pela incompetência e o uso de sua estrutura para fins eleitoreiros. E mais, enquanto Dilma não consegue ampliar o número de Upas como prometeu, aqui Flávio Dino sequer consegue manter as que deixamos. Enquanto Dilma não consegue ampliar o ensino de tempo integral, aqui Flávio Dino vai transformar a única escola desse porte em IEMA. Dilma prometeu criar mais centros de especialidades médicas, mas aqui Flávio Dino está fechando os centros que deixamos, como os ambulatórios, despachando pacientes e médicos, tornando a saúde caótica.

Passado um ano, não só nada mudou, como tudo piorou. Razão mais do que suficiente para colocar fim ao compromisso que eu, acreditando em falsas promessas e palavras ocas, tinha assumido de acordo com minha consciência e acreditando que a reeleição da presidente Dilma seria sinônimo de progresso e desenvolvimento para nosso estado. A decepção é maior porque o povo não só confiou em Dilma como confiou em Flávio Dino. Agora são populações inteiras desiludidas com as mudanças e melhorias que tanto pregaram durante suas campanhas. O Flávio Dino de Aécio Neves ano passado, caminha hoje ao lado de Dilma. Mas eu, deputada Andrea Murad, quem vocês viram caminhar com Dilma ano passado e esperançosa como todo maranhense, agora caminha única e exclusivamente ao lado do povo, ontem, hoje, amanhã e sempre.

Portanto, com ou sem impeachment, com ou sem Dilma no governo, precisamos dar um basta nesta crise que assola o Brasil e toma conta do Maranhão.

Andrea Murad

Relações Públicas e deputada estadual pelo PMDB/MA

murad

Leave a Comment